22/11/2021 - Thais Paiva

Professores na Tanzânia prototipam suas primeiras 100 ‘microinovações’ para melhorar o aprendizado

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do WhatsApp

As ideias incluem o ‘Manual de aprendizagem de 15 minutos’ para ajudar os alunos do Ensino Médio a aprender como aumentar a concentração

Professores de 100 escolas e centros juvenis em Dar Es Salaam e Lindi, na Tanzânia, começaram a empolgante fase de prototipagem em sua jornada de inovação.

Após várias semanas passando por um curso de treinamento intensivo, usando o kit de ferramentas de código aberto do Escolas2030 e com o apoio contínuo dos facilitadores da Fundação Aga Khan (AKF), os professores estavam prontos para colocar algumas de suas ideias em ação. Em setembro deste ano, eles apresentaram suas inovações de protótipo em preparação para o próximo estágio de financiamento e implementação em situações do mundo real, permitindo-lhes testar sua eficácia na aprendizagem dos alunos.

No início do programa, os facilitadores do Escolas2030 trabalharam junto com o Comitê Consultivo Nacional – um grupo seleto de parceiros governamentais, grupos de educação locais e nacionais, ONGs com experiência no país e outros indivíduos – para escolher cinco principais domínios de aprendizagem em cada grupo que se alinham às prioridades curriculares nacionais nas três faixas etárias identificadas como anos de transição essenciais.

Alfabetização e letramento matemático foram priorizados para todas as idades, bem como uma variedade de proficiências não acadêmicas, incluindo criatividade, pensamento crítico, construção de relacionamento e engajamento cívico.

As inovações que os professores projetaram visavam abordar esses domínios específicos e seguem uma série de avaliações rápidas que foram realizadas para medir as habilidades individuais dos alunos em cada uma dessas áreas centrais. Uma vez que as inovações tenham sido implementadas, os professores realizarão avaliações formativas para rastrear seu efeito na aprendizagem holística e, em seguida, adaptarão e repetirão quando necessário.

Durante as apresentações, os professores foram solicitados a explicar quais domínios suas inovações abordaram, bem como demonstrar como cumpriram os critérios para financiamento adicional, incluindo ser lúdico, centrado na criança, inclusivo, sensível ao gênero, de baixo custo e escalonável. Uma seleção de 100 dessas inovações lideradas por professores é destacada a seguir.

Nível pré-primário de microinovações

No nível pré-primário, 90% das inovações abordaram as habilidades dos alunos nos 3Rs – Leitura, Escrita e Aritmética (abordando os domínios de Alfabetização e Numeração dentro da estrutura Escolas 2030 na Tanzânia). A maioria deles contém materiais de ensino e aprendizagem e oferece diferentes modos de entrega de aulas, com foco em ser centrado na criança e interativo. Muitos deles também demonstram uma integração de competências não acadêmicas. Essas inovações incluíram:

Sacos maravilhosos de aprendizagem – sacos etiquetados e organizados cheios de ferramentas de aprendizagem para competências específicas que envolvem todos os alunos no processo de aprendizagem e resolvem a falta de materiais em sala de aula na Escola Pré-primária Mtanda.

O Jardim das Palavras e Números – um espaço físico para as crianças da Escola Pré-primária Majimatitu explorarem formas, objetos, plantas artificiais, frutas e outros itens, marcados com palavras, sílabas, letras e números. Ao interagir com os objetos, as crianças podem identificar mais facilmente letras e números e usá-los para praticar a formação de palavras e funções matemáticas básicas.

O modelo de aprendizagem T – quase como usar um aplicativo, mas sem a necessidade de tecnologia digital cara, o modelo de aprendizagem T permite que as crianças na escola Toangoma escolham letras e números para criar palavras e fórmulas matemáticas básicas.

Nível primário de microinovações

No nível primário, ou Classe IV Standard (10 anos), cerca de 50% das 30 inovações abordam desafios em torno de linguagem e matemática, enquanto as ideias de outros professores se concentraram em habilidades sociais, como resolução de problemas, criatividade, comunicação e autoexpressão . Para alunos do ensino fundamental, eles incluíram:

A Creche Biblioteca – A Creche Biblioteca, desenvolvida por professores da Escola Primária Mitanga, é um espaço especial para os alunos lerem livros de histórias; os alunos serão divididos em cinco grupos e, a cada semana, os alunos lerão um livro. Todas as sextas-feiras, os alunos serão convidados a apresentar a história à turma para expressar o que compreenderam.

A classe de Conhecimento (‘Darasa Maarifa’) – A classe de Conhecimento aborda a necessidade de metodologias de ensino mais centradas na criança na escola primária de Majimatitu, onde as capacidades de leitura, escrita e pensamento crítico precisam de atenção. A classe estará equipada com diversos materiais de ensino e aprendizagem para todas as disciplinas, bem como jogos e atividades para estimular a aprendizagem das crianças.

A Roda do Conhecimento – É um jogo de quebra-cabeça com palavras em uma roda, que os alunos podem girar para criar frases significativas, organizando palavras colocadas aleatoriamente na roda. Os alunos da Escola Primária Mpilipili serão incentivados a se tornarem mais confiantes com sua fala e construção de frases, de uma forma divertida e interativa.

Nível Secundário de Microinovações

Para a faixa etária de 15 anos, muitos dos professores enfatizaram a necessidade de praticar a fala e a escrita em inglês (aproximadamente 60%). O resto das inovações enfocam os alunos apoiando a aquisição de habilidades e atitudes não acadêmicas, como pensamento crítico, engajamento cívico, comunicação e resolução de problemas. Algumas das inovações para o nível secundário incluíram:

Livro de histórias de pensamento crítico – desenvolvido por professores da Escola Secundária de Nsaza, esta inovação visa melhorar o pensamento crítico entre os alunos por meio de imagens e contação de histórias. Ao ler, narrar, debater juntos e desenhar suas respostas aos livros que lêem a cada semana, os alunos constroem confiança e criatividade e melhoram sua capacidade de colaboração, empatia e resolução de problemas.

O Jardim da Ciência – Na Escola Secundária de Angaza, os professores optaram por se concentrar em apoiar os alunos em biologia, química e física. O Jardim da Ciência visa estimular o interesse e, em última análise, aumentar o desempenho nas disciplinas de ciências, fornecendo um espaço interativo para que os alunos melhorem sua compreensão de vários tópicos, por exemplo, classificação (como os organismos vivos são organizados de acordo com seu comportamento) e fotossíntese (como as plantas fazem comida).

Manual de 15 minutos para aprendizagem – Desenvolvido por professores da Escola Secundária Mingoyo, o “Manual de 15 minutos para aprendizagem” orientará os professores sobre como usar jogos educacionais para ajudar os alunos a melhorar os níveis de atenção pessoal, foco, concentração, paixão, criatividade e eficácia. As aulas são baseadas na ideia de aprender em qualquer intervalo curto de 15 minutos – aumentando assim as oportunidades. Eles envolvem jogos, quebra-cabeças e outras oportunidades de interatividade.

Com as escolas e grupos de jovens agora empenhados em testar e repetir suas ideias, o Escolas2030 começará a obter os recursos necessários para iniciar a implementação formal. Usando as ferramentas de avaliação desenvolvidas em parceria com nosso parceiro Schools2030 Global Learning Assessment, Oxford MeasurEd, e com o apoio da Líder de Avaliação Regional do Escolas2030, Emily Tusiime, avaliações formativas serão realizadas para determinar a eficácia desses protótipos, que podem então ser adaptado e iterado conforme necessário.

O que foi impressionante de notar sobre os protótipos e as ideias dos professores foi como muitos deles eram táteis, interativos e lúdicos. Isso demonstra um entendimento compartilhado em nível local e global de que o aprendizado das crianças é mais eficaz se elas puderem se envolver com a aprendizagem de uma forma significativa, colaborativa e alegre e ver em primeira mão como seu conhecimento se aplica a situações do mundo real. Embora os contextos possam ser diferentes e as inovações possam precisar ser adaptadas para levar em conta as diferenças de contexto e prioridade, isso diz muito sobre como as ideias poderiam ser replicáveis.

Para tanto, o Escolas2030 tem o prazer de trabalhar ao lado da ONG sueca, HundrED, para garantir que todas as 100 inovações sejam armazenadas, codificadas e disponibilizadas por meio da plataforma Faved – um novo portal de professor para professor para compartilhar inovações em todo o mundo. O piloto da plataforma Faved será lançado no encontro RewirED em Dubai em dezembro de 2021 e esperamos vê-lo lá virtualmente para este marco na jornada do Escolas2030 e muito mais. Não podemos esperar para ver mais e mais inovações para o aprendizado surgirem na rede Escolas2030 e estamos ansiosos para apresentá-las em breve!

*Texto traduzido do original Teachers in Tanzania prototype their first 100 ‘micro-innovations’ for improved learning