24/09/2021 - Thais Paiva

Conheça pesquisas internacionais articuladas ao Escolas2030

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do WhatsApp

Confira como acadêmicos e instituições estão trabalhando para aprofundar a compreensão de como melhorar a aprendizagem integral em todo o mundo

Por Sarah James

Em outubro de 2020, o time global do Escolas2030 lançou sua primeira Chamada Global para Pesquisa, com o apoio da Fundação Jacobs. A solicitação de propostas buscava até cinco parceiros de pesquisa que pudessem ajudar o Escolas2030 a entender como e o que as crianças estão aprendendo por meio de sua participação no programa durante seus primeiros dois anos. A chamada buscou pesquisadores internacionais que poderiam trabalhar junto com as equipes e escolas na fase inicial do programa para ajudar a explorar o impacto que está tendo na aprendizagem e no ensino – por exemplo, como as habilidades holísticas são medidas, ou quais fatores podem explicar a variabilidade nos resultados.

As propostas foram convidadas a abordar uma das seguintes áreas temáticas:

  1. Estratégias de ensino eficazes para aumentar os resultados de aprendizagem integral;
  2. Diferenças na aprendizagem, equidade e inclusão – incluindo igualdade de gênero;
  3. O papel e o uso eficaz da tecnologia educacional (incluindo “baixa tecnologia”) para aumentar os resultados de aprendizagem integral;
  4. A relação entre habilidades não acadêmicas e resultados de aprendizagem acadêmica;
  5. COVID-19, interrupção educacional e aprendizagem / bem-estar socioemocional.

De um total de 51 inscrições, cinco parceiros de pesquisa foram escolhidos para receber uma bolsa de $ 150.000 cada para trabalhar com equipes de países do Escolas2030 nos próximos 18-24 meses. Mais da metade dos pesquisadores está sediada nos países-alvo, com todos os projetos enfocando a igualdade e inclusão na educação, incluindo como apoiar os professores para lidar com as diferenças e diversidade de aprendizagem. Os projetos atuais abrangem todos os três coortes dos principais anos de transição em que o Escolas2030 se concentra e cobrem cinco geografias – Paquistão, Quênia, Tanzânia, República do Quirguistão e Tajiquistão. Para garantir o equilíbrio, a segunda chamada global para pesquisa no primeiro trimestre de 2022 mudará o foco para os países restantes do Escolas2030.

Projeto 1: Catalisando soluções de educação enraizadas localmente para melhorar os resultados de aprendizagem integral (Paquistão e Quênia)

Com uma equipe de pesquisa composta por membros do ITA Paquistão e do Zizi Afrique Quênia, este projeto busca produzir evidências para as políticas públicas sobre a relação entre a aquisição de habilidades não acadêmicas e o aprendizado acadêmico. A pesquisa avaliará o programa Escolas2030 em dois países – Paquistão e Quênia – em 25 escolas e dois centros juvenis por um período de 18 meses. Ela buscará gerar evidências robustas sobre intervenções conduzidas pela escola que efetivamente desenvolvam uma experiência de aprendizagem mais holística. A pesquisa também explorará os fatores específicos que podem influenciar a implementação efetiva do programa em ambos os países e como isso pode afetar a mudança em todo o sistema.

No Paquistão, os pesquisadores examinarão a relação entre soluções conduzidas localmente e resultados de aprendizagem

Projeto 2: O desenvolvimento da compreensão de imagens – melhorando os materiais de aprendizagem e as ferramentas de avaliação em contextos globais (Quênia)

Pesquisadores da Universidade da Califórnia, Berkeley, irão explorar a eficácia das imagens como uma ferramenta de aprendizagem para crianças muito pequenas. Professores e pesquisadores da primeira infância freqüentemente usam materiais de aprendizagem e ferramentas de avaliação que envolvem estímulos de imagens, mas não está claro quando e como as crianças em diferentes culturas e contextos começam a entender imagens. Concentrando-se em crianças de 5 anos em Lamu, Quênia, os pesquisadores vão explorar se a compreensão de imagens é intuitiva para todas as crianças, independentemente de seu ambiente inicial (ou seja, alta renda, baixa renda, urbano, rural), ou se a compreensão de imagens requer ampla experiência com livros ilustrados e outros símbolos visuais.

Pesquisadores da UC Berkeley investigarão quais fatores afetam a velocidade e a capacidade de compreensão de imagens na primeira infância

Projeto 3: O efeito de atributos de Design Thinking e abordagens de ensino baseadas em brincadeiras no aumento de resultados de aprendizagem integral no nível da escola primária (Tanzânia)

Esta parceria de pesquisa-ação reúne mentes da Universidade de Dar es Salaam, da Universidade de Notre Dame e da organização beneficente Right to Play, do Reino Unido, para trabalhar com educadores e comunidades escolares da Tanzânia para testar a eficácia dos elementos-chave do Design Thinking e da aprendizagem baseada na brincadeira.

A questão central a ser explorada na tese pergunta: como os resultados de aprendizagem integral são impactados pelos atributos comuns destas abordagens? Trabalhando com alunos de 40 escolas, a pesquisa buscará contextualizar e definir o conjunto de habilidades socioemocionais dos alunos. Uma ferramenta de medição será então desenvolvida usando uma amostra de 800 alunos da Educação Infantil de quatro distritos da Tanzânia.

Projeto 4: Explorando as perspectivas de atores centrais da educação escolar sobre a qualidade da educação no contexto do Escolas2030 (República do Quirguistão e Tajiquistão)

Projeto conjunto conduzido por pesquisadores da Universidade de Nazarbayev e da Universidade OISE de Toronto, este estudo de dois anos visa identificar e gerar ideias e práticas eficazes, sustentáveis, culturalmente relevantes e contextualmente viáveis ​​sobre educação escolar.

O estudo tem foco na escola para identificar as perspectivas de atores centrais (professores, alunos, líderes escolares e pais) em relação à educação de qualidade, desafios e respostas que podem ser compartilhados com outros educadores e pesquisadores para informar a política pública e abordagens para melhorar os resultados de aprendizagem integral. Os pesquisadores se concentrarão em jovens nos anos de transição de 10 e 15 anos, bem como seus pais, professores e líderes escolares em 30 dos locais-alvo do Escolas2030 na República do Quirguistão e no Tadjiquistão.

A pesquisa na República do Quirguistão terá a abordagem de toda a comunidade, explorando diferentes percepções de professores, alunos, pais e outras partes interessadas

Projeto 5: ‘Dados devem falar’, sobre a abordagem de desvio positivo para a aprendizagem (Tanzânia)

Esta iniciativa, liderada por Matt Brossard, Chefe de Educação do Escritório de Pesquisa do UNICEF, expandirá um projeto de pesquisa multipaíses, Data Must Speak (“Dados devem falar”, em tradução livre) para a Tanzânia, e buscará abordar a crise de aprendizagem global em que mais da metade das crianças não consegue ler e compreender textos simples aos 10 anos, mesmo quando estão na escola. A pesquisa oferece uma oportunidade única de conectar duas iniciativas de grande escala – Data Must Speak e o Escolas2030 na Tanzânia – usando a “metodologia de desvio positivo”, ou seja, quais fatores contribuem para que algumas escolas alcancem melhores resultados do que outras, embora operem em um contexto semelhante com recursos comparáveis. Uma vez identificados estes fatores, o projeto investigará as alavancas acionáveis ​​do sistema, da escola e da comunidade para dimensioná-los de forma otimizada.